Febre aftosa: 64,91% do rebanho bovino e bubalino já foi vacinado no Ceará

O último balanço da campanha de vacinação contra a febre aftosa demonstra que 1.742.990 bovinos e bubalinos (64,91%) foram oficialmente vacinados até a última sexta-feira (17). Ainda segundo informações da Agência de Defesa Agropecuária do Ceará, 70.623 propriedades, ou 57,11% do total previsto, emitiram a declaração. O prazo da vacinação se encerra no dia 31 de julho e o prazo de envio de declaração por parte dos criadores ficou para 31 de agosto.

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a campanha de vacinação já teve o prazo adiado: de 30 de junho para o final deste mês. A proposta foi apresentada pelo Fórum Nacional de Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa) e acatada pelo Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento (Mapa). A meta é vacinar 90% do rebanho, embora o Estado busque atingir o status nacional e internacional de área livre de aftosa sem vacinação até maio do próximo ano.

A febre aftosa é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus e que atinge animais de casco fendido. Os principais sintomas são a presença de vesículas (aftas), febre, inquietação, salivação (babeira), dificuldade em mastigar e engolir alimentos, tremores, queda na produção do leite, dor nos tetos ao ordenhar e amamentar, ferimentos nos pés e manqueira. A doença não é transmitida para seres humanos, embora possa levar à morte do rebanho.

A presidente da Adagri, Vilma Freire, reforça que a declaração da vacinação é realizada prioritariamente através do Portal do Produtor, ou por meio de atendimento pelo Whatsapp. Outra possibilidade é o envio da declaração para o e-mail aftosa2020@adagri.ce.gov.br, evitando aglomerações nos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária. “Vamos agilizar e não deixar para última hora”, convoca a presidente Vilma Freire.

“Nossos agentes estarão nos escritórios para receber notas fiscais e declarações dos criadores, e também para orientá-los a acessar o Portal do Criador. Com isso, estaremos realizando um trabalho importante para que cheguemos na reta final desta campanha com um excelente resultado. Estamos bem próximos do final da obrigatoriedade de realizar a vacinação”, garante Antônio Amorim, presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural.

Por Governo do Ceará