Sineiro de Canindé será homenageado pela Secult

Nesta segunda-feira (6), Dia de Reis, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) realiza a XIV Mostra Estadual Ceará Ciclo Natalino, com programação gratuita e voltada para toda a família na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, a partir das 8h. A Mostra Estadual marca o fim das atividades do Ciclo Natalino do Estado e traz como tema este ano “O Natal em vários tons: A arte dos sinos anunciando um novo tempo”, além de homenagear o Mestre Sineiro Getúlio Colares, de Canindé, que chegou aos 90 anos em 2019.

A programação reúne durante todo o dia, na Praça do Ferreira, 14 Grupos de Tradição e Projeção Folclórica (Parafolclórico), do interior e da capital cearense. Esses foram selecionados por comissão formada por representantes da Secult e da sociedade civil, por meio de visitas aos eventos natalinos que integraram as Mostras Regionais do XVI Edital Ceará Ciclo Natalino – 2019, em diversas regiões do Ceará. A programação vai até 18h e é aberta ao público.

Dentre as atividades constam um cortejo, saindo da Igreja do Carmo, passando pela Rua Barão do Rio Branco, Travessa Severiano Ribeiro e chegando à Praça do Ferreira. No palco montado em frente ao Cineteatro São Luiz acontecem as apresentações de lapinhas, pastoris, bois e reisados, dramistas, presépios e fandangos pelos grupos participantes das mostras regionais.

Mestre Getúlio

Getúlio Colares nasceu no sertão cearense e, aos dez anos de idade, teve uma doença grave. Sua mãe fez uma promessa para que ele ficasse curado e sua cura, para ela, foi uma graça alcançada pela intercessão de São Francisco. Em pagamento à promessa, a família foi morar em Canindé e passou quatro anos trabalhando na igreja de graça, em agradecimento.

Os frades gostaram dos serviços do jovem Getúlio, que depois continuou a trabalhar em Canindé. Foi diplomado como operário-padrão e homenageado em 1979 e 1980. Passou a ser Patrimônio da Basílica de São Francisco e Mestre da Cultura Popular do Ceará, em 2007, recebendo o diploma de Tesouro Vivo da Cultura das mãos do ex-governador Cid Gomes.

O primeiro dia em que tocou o sino foi na procissão do Sagrado Coração de Jesus, em 29 de julho de 1944. De acordo com seus relatos, começou a tocar os sinos nas formas tradicionais de Canindé, “vários tempos…vários sinos… várias tocadas de alegria e de tristeza”. Tocava o sino também em datas e ocasiões como Dia de São Brás, Quinta-feira Santa, Domingo de Páscoa, no perdão de Assis, Chagas de São Francisco, festa de Nossa Senhora das Dores, Dia do Romeiro, festa de São Francisco, Mês do Rosário, Dia de Finados, Natal e Ano Novo.

Em 2019, Mestre Getúlio Colares comemorou 90 anos, sendo 75 deles dedicados a embalar os sinos da Basílica de São Francisco, em Canindé. No último ano, na abertura das Mostras Regionais do XVI Edital Ceará Ciclo Natalino, mesmo com a saúde frágil, Mestre Getúlio subiu os 108 degraus da torre da igreja para exercer o seu ofício. O sineiro deve conhecer muito bem cada um dos toques e tocá-los sempre na ocasião correta. Os mais antigos são como baluartes no exercício dessa arte.

Desde 2009, o ofício de Sineiro foi registrado como Patrimônio Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Inscrito no Livro de Registro dos Saberes, é a maior chancela do patrimônio cultural do País. Para o IPHAN, os toques do sino e seus nomes foram criados pelos sineiros ainda no tempo colonial e preservados na tradição oral. Muitos deles são onomatopeicos, exprimindo o som ou o ritmo que produzem. Para o Instituto, preservar a linguagem dos sinos é preservar parte da memória e da história do Brasil.

A XIV Mostra Estadual Ceará Ciclo Natalino promove também duas exposições. Na Exposição Fotográfica haverá registros de como o Ciclo Natalino é realizado no Estado, com fotos dos Mestres e Mestras homenageados em edições anteriores, acompanhadas de minibiografia e imagens do seu saber. Ganham destaque: Boi Ceará – José Francisco Rocha (Mestre Zé Pio); Pastoril Nossa Senhora de Fátima – Rita Gomes da Costa (Mestra Rita Costa – in memória); Boi do Boca Rica  – Pedro dos Santos de Oliveira (Mestre Boca Rica – in memória); Reisado Boi Coração – Antônio Batista da Silva (Mestre Piauí – in memoria); Pastoril Mariinha da Ló – Maria do Carmo Menezes Morais (Mestra Mariinha da Ló); Reisado da Mestra Margarida Guerreiro – Maria Margarida da Conceição (Mestra Margarida Guerreira); Reisado de Congo do Mestre Aldenir – José Aldenir Aguiar (Mestre Aldenir), além de Mestre Getúlio Sineiro – Getúlio Colares.

Já a Exposição de Presépios, contemplados ou não pelo Edital, mostra que ainda há a tradição das montagens dessa verdadeira arte criada por São Francisco, no século XIII.  Com a exposição, o público pode apreciar os mais lindos presépios feitos dos mais diversos materiais. Participam a exposição: Presépio Estrela de Luz (Canindé), Exposição de Lapinhas de Dona Mazinha (Fortaleza) e presépios e lapinhas da Mostra Anúncios de Luz: Revivendo as Tradições Populares Natalinas (Senador Pompeu).

Por SECULT-CE